Wednesday, February 22, 2006

Fantasporto´ 06

A festa do cinema regressa ao Porto entre os dias 20 de Fevereiro e 5 de Março. Do "quartel-general" no Rivoli com as Secções Oficiais e as Retrospectivas do Cinema Húngaro, do Expressionismo Alemão, de Bill Plymtpon e dos Irmão Shaw, ao Cinema Passos Manuel, onde está sediada a nova Secção do Festival, a "Love Connection", passando pelo Auditório da Biblioteca Almeida Garrett, que acolhe o cinema de Bombaim, sem esquecer os cinemas AMC, no Arrábida Shopping, que projectam alguns dos melhores filmes mais comerciais da edição 06.
O cinema português abre, oficialmente, a 26ª edição do Fantasporto ­Festival Internacional de Cinema do Porto. O primeiro filme português a ter honras de abertura do festival, "Coisa Ruim" de Tiago Guedes e Frederico Serra entra, também, em concurso na Secção Oficial de Cinema Fantástico. Para fechar com "chave de ouro", o Fantasporto 2006 recebe "Fragile". Depois do sucesso de "Los Sin Nombre" (Melhor Realização Fantas 2000) e "Darkness", o realizador espanhol Jaume Balagueró regressa ao cinema de terror. No principal papel do assustador "Fragile" encontramos a actriz Calista "AllyMcBeal" Flockhart.
A Secção Oficial de Cinema Fantástico conta com participações dos mais variados países. Para começar: Portugal. Dois filmes entram emcompetição. O já citado, "Coisa Ruim" de Tiago Guedes e Frederico Serra e "Animal" de Roselyne Bosch, uma co-produção com França e Diogo Infante no principal papel. Depois, um filme sueco de vampiros, leram bem, sueco e de vampiros:"Frostbiten" de Anders Banke. Ainda, o primeiro filme irlandês de zombies, "Dead Meat", de Conor McMahon, o regresso de Ivan Cardoso ao Fantas, "Um Lobisomem na Amazónia" e, entre muitos outros, o canadiano "Saints-Martyrs-des-Damnés" de Robin Auber. A 16ª Semana dos Realizadores do Fantasporto 2006 arrisca-se a ser a melhor de sempre! O vencedor da secção em 2003, Anders Thomas Jensen regressa com "Adam's Apple", o celebrizado realizador escocês, Michael Caton-Jones ("Rob Roy" e "City by the Sea") participa com a sua leitura dos acontecimentos no Ruanda em 1994. Destaque, também, para "Domino", o mais recente filme de Tony Scott, realizador de "True Romance". O Expresso do Oriente volta a ter paragem obrigatória no Fantasporto. A 26ªdo Festival Internacional de Cinema do Porto escolheu algumas das mais acutilantes produções daquela cinematografia para figurarem no cartaz de2006. Este ano, a Secção Oficial Orient Express tem um repetente: Kim KiDuke em dose dupla. Primeiro, "The Bow", selecção oficial "Un CertainRegard",do Festival de Cinema de Cannes 2005. Depois, uma análise amarga da prostituição e das suas consequências em "Samaritan Girl". O realizador volta ao tema, depois de "O Bordel do Lago" (2000). Das Filipinas chega-nosuma mistura de "Memento", "O Sexto Sentido e "The Ring" em "The Echo".Em2004, Takashi Miike realizou "One Missed Call", já apresentado noFantas. Agora, o telemóvel do inferno está de regresso em "One Missed Call 2".
Cinema Português no Fantasporto
O cinema português entra com o pé direito no Fantasporto 2006. Foram tantosos filmes submetidos à 26ª edição que, este ano, o Fantas decidiu alongar as sessões de cinema nacional. Vamos ter quatro sessões cheias de filmes portugueses, isto para não falar das duas longas metragens em competição na Secção Oficial de Cinema Fantástico e já aqui afloradas: "Coisa Ruim" deTiago Guedes e Frederico Serra, e "Animal" de Roselyne Bosch, umaproduçãode António da Cunha Telles com Diogo Infante.De documentários, como "Vez", Martin Dale, jornalista/crítico de cinemada prestigiada revista de cinema "Variety", lança um olhar sobre Arcos deValdevez a filmes de ficção/video musical, como "Shine On" de Rui de Brito. A canção dos Blind Zero "Shine On", do álbum "The Night Before and a New Day" (2005) é o mote para a curta-metragem de Rui de Brito. Não esquecendo objectos estranhos, mas curiosamente interessantes e relevantes como "A Piscina" de Iao Viana, João Viana. Selecção Oficial do FestivalInternacional de Cinema de Veneza 2004. De entre a selecção portuguesa olhar atento para "A Rapariga da Mão Morta". O realizador Alberto Seixas Santos ("O Mal", 1999) deixa por breves instantes as longas-metragens e filma odrama da Rapariga da Mão Morta.
AS RETROSPECTIVAS
Cinema Húngaro. No ano de 2006, comemoram-se os 50 anos da Revolução Húngara que, em1956, desafiou o Poder soviético e acreditou ser possível uma revolta popular tomar o Poder e transformar o país numa democracia. O esmagamento dessa revolta pelos tanques do Pacto de Varsóvia, provou que estavam errados nas suas esperanças. Mas, os seus ideais estavam certos, mesmo se demoraram,ainda, 30 anos a concretizar-se. O Fantasporto junta-se à comemoração ededica uma das suas Retrospectivas ao cinema deste país. Nomes importantes como Istvan Szabo, Márta Meszáros e Miklos Jancsó, ou mais recentes, estrelas em ascensão, como Kornél Mundruzcó estão presentes com os seus melhores filmes.
Expressionismo Alemão.
Ao longo das suas vinte e cinco edições, o Fantasporto sempre dedicou aocinema alemão o lugar de destaque que esta cinematografia inegavelmentemerece pelos contributos inovadores que deu nestes cem primeiros anos docinema. Foi esse reconhecimento da "marca" alemã nos grandes momentos da história do cinema e nas grandes criações estéticas que revolucionaram a 7ªarte, que justificaram no Fantas importantes retrospectivas. Este ano, o Expressionimso Alemão tem um lugar de destaque? o Fantasporto 06 exibe filmes como "Metropolis" e "Dr Mabuse" de Fitz Lang, ou "Nosferatu" e "Fausto" de F. W. Murnau.
Irmãos Shaw
Sempre atento à cinematografia oriental, o Fantasporto investe agora nosmaiores produtores de cinema chinês ­ os Irmãos Shaw. O cinema chinês comemorou 100 anos em 2005. Os Irmãos Shaw são uma parte fulcral dahistóriadesta cinematografia. Os seus filmes, que vão desde as artes marciais ekungfu, à ópera Huangmei, passando pela comédia. O Festival Internacional de Cinema do Porto mostra algumas das mais conceituadas obras produzidas pelos Shaw numa Retrospectiva a ver atentamente no Rivoli ­ Teatro Municipal.
Bollywood e Love Connection.
Dois espaços emergem na programação do Fantas. Um deles é a Biblioteca Almeida Garrettt que recebe uma Retrospectiva do Cinema de Bombaim, maisconhecido por Bollywood ­ o espectáculo do cinema, da música, do bailado, dacor e da coreografia, em filmes que são uma experiência única do audiovisual, com o volúpia envolvente das sensações E sempre em versão "extra large" de tempo. Bem como, uma exposição do artista belga Manú Gomezna Galeria da Biblioteca. Artista- cineasta, no ano passado foi Júri de uma das Secções Competitivas do Fantasporto. Manuel Gomez nasceu a 14 de Março de 1956, em Mont-sur-Marchienne, na Bélgica. Já expôs em Paris, e em muitos outros locais de França e no Palácio da UNESCO em Beirute. Em 1981ganhou o prémio de pintura dos Ateliers "Grand Hornu", para os jovens pintores. Como escultor, Gomez gosta de "explorar dimensões e sensações" estranhas ediferentes. Outro desses espaços é o Cinema Passos Manuel. A pouca distância do Rivoli, recebe uma nova Secção no Fantas, a "Love Connection". O objectivo é, basicamente, dar resposta a um conjunto de filmes que cada vez mais nos são propostos, com novas perspectivas sobre o amor, dos mais estranhos prazeres, de novas sexualidades, paixões intempestivas, amores marginais, bizarras formas de viver o sexo, perversões mais ou menos explícitas ou de perdições absolutas.
Homenagem a Manoel de Oliveira
O Fantasporto 2006 homenageia o realizador portuense, Manoel deOliveira, um dos maiores embaixadores da língua portuguesa no estrangeiro e patrono da Semana dos Realizadores do Festival Internacional de Cinema do Porto desde 1991.O Fantasporto exibe "O Espelho Mágico" (2005), o mais recente filme de Manoel de Oliveira. O realizador volta a adaptar Agustina Bessa-Luís ("O Princípio da Incerteza", 2002). Uma mulher deseja ver a Virgem Maria para lhe fazer algumas perguntas.

1 comment:

marta said...

Acerca de cinema e festivais, foi pela mão do fundador do Festival Internacional de Troia que conheci o Fantasporto e tudo o que diz respeito a cinema. No dia 16 de Junho Mario Ventura, esse grande cinéfilo, escritor e jornalista partiu abruptamente e cedo demais..Ficam as memórias e uma herança inestímavel assim como o dever de fazer perdurar a memoria de um grande amigo, de um grande mentor..