Friday, April 29, 2005

Sugestão de teatro: "Ser e Não Ser"

Posted by Hello


Tive a oportunidade, em forma de antecipação, de conversar ontem à tarde, no Teatro Rivoli do Porto, com a encenadora e actriz Maria do Céu Guerra. O resultado da conversa/entrevista pode ser lido na integra na edição de hoje do CP, no entanto, e tendo em conta a estreia, logo à noite, da proposta "Ser e Não Ser", pela companhia lisboeta "A Barraca", a minha sugestão teatral para este fim-de-semana, e em jeito de síntese/apresentação, surge-me como pertinente afirmar que a proposta reveste-se de especial interesse, não só pela coragem/ousadia de revisitar 27 séculos de história teatral em mais de seis horas de representação dividias as três episódios, hoje às 21h30, amanhã às 16h00 e o derradeiro olhar sobre o contemporâneo, no sábado às 21h30, como também pela lucidez e coragem dessa grande figura dos palcos nacionais.
Na realidade, fiquei com a melhor das impressões. Maria do Céu Guerra revelou um olhar inteligentíssimo sobre o contexto teatral português, lançado farpas, bem estruturadas quanto afiadas, em direcção ao Instituto das Arte que, no entender da actriz, "representa o período de novo-riquismo que actualmente estamos a viver". Importante contextualizar a observação, com o facto/discurso de sobrevalorização do IA de Paulo Cunha e Silva sobre as arte plásticas contemporâneas, sobretudo as de carácter experimental em deterimento do teatro e outras propostas mais "clássicas". Nota também de preocupação relativamente à invasão de modelos, caras lindas e outras figuras capas de revistas com alguma telegenia nas produções televisivas e nos palcos. Falta ainda regulamentar a profissão de actor, de forma a que quem estude durante quatro ou cinco anos não seja simplesmente passado para trás por uma boazona que tirou um "workshop" de sorrisos para a câmara nas horas vagas.
Fica a sugestão para quem habita o Porto, de entre hoje e amanhã apanhar pelo menos um dos três capítulos desta viagem pela história do Teatro, de Eurípedes a Arthur Miller, intitulada "Ser e Não Ser" conduzida, desde logo, por um nome superlativo e referêncial dos palcos e da representação. Parabéns à "Barraca" pela ousadia e qualidade do projecto.

1 comment:

André Carita said...

Obrigado pela sugestão! Parece-me bastante interessante :)