Monday, March 21, 2005

Império Blasted: Episódio III - Avatara

Império Blasted editou hoje episódio III: "Avatara". Com "Namaste", 2003 afirmou-se como o ano de todas as emiss~ees intergalácticas dos Blasted Mechanism. De Paredes de Coura aos noites Ritual, assisiti a pelo menos uma boa meia dúzia de espectáculos, "Are You Ready", single revelado em vídeo-clip no Fantas, dominou o território "live" de Portugal e arredores. Volvidos dois anos, os mensageiros mutantes reinventam-se com "Avatara", terceiro episódio discográfico a libertar hoje nas discos, aventura cósmica do colectivo karkoviano renascido há uma década algures na margem direita do rio Tejo, planeta Terra. Em termos conceptuais a quarta mutação transforma o trio Ary, Karkov e Valdjiu em elementos congregadores. Depois de guerreiros, recolectores e apaziguadores, "Avatara" (designação referente a encarnações divinas na teologia brimânica; do original sânscrito "avatar":"descida do céu"), o planeta Terra surge novamente como o território de todas asmanipulações. Para os Bastled a salvação dos humanos ainda é possível.Mais orgânico e menos electrónico, "Avatara" não se desvia no essencial das sonoridades formalizantes do colectivo. "Blasted Empire" inaugura, em velocidade "wrap", uma viagem sónica por um registo equilibrado, entre renovadas incursões tribais de cítaras e didjiridoos, com a voz de Maria João em destaque, e na assunção de atmosferas urbanas, desta vez, simplificadas pelo "rap" profético dos Dealema. Em conversa via telefone, Ary confessou-me que "Avatar" um disco mais espiritual". Para o baixista e co-produtor, "a presenãa de Maria João singnifica a concretização de um sonho", "os Dealema oferecem um cáracter urbano" e o "DJ Nelassassin um virtuosismo na área do djing". Ao vivo, os Blasted prometem um "up grade" tecnológico. Novas roupas de Gerardo Haro, concretizam a quarta metamorfose, acompanha por uma reactualização do espectáculo de som e luz. Depois da digressão de apresentação antecipada, que passou pelo Porto na passada sexta-feira, (infelizmente não pude assistir), "Avatara" será certamente um dos pratos princípais da temporada de concertos a atingir o verão 2005. Sem surpreender, em termos musicais, possui a essência destilada nas vibrações orientais dos Blasted. Uma banda que ao vivo vampiriza-se com a proposta estética. As narrativas e os personagens "live" devoram os músicos por detrás das máscaras.

1 comment:

Ricardo Santos said...

Excelente banda. Dá-me um gozo especial vê-los ao vivo...

Visita o meu blog: suggadittu.blogspot.com