Thursday, July 07, 2005

Infantilização da estética feminina - parte II

Post conclusivo ou/e em aberto, tendo em conta a discussão gerada pelo original, "Infantilização da estética feminina", remeto para possíveis análises complementares, que derivaram parcialmente do "input" sobre estética/consumismo, para o excelente artigo "Consumismo" publicado no cinecultura.

6 comments:

Virgínia Pedras said...

...lol...desta vez não irei comentar..=)..bjs*

André Carita said...

Apesar de não ter acompanhado este blog na altura da discussão sobre a 1ª parte deste assunto, parece-me óbvio que não só a mulher como o homem cada vez mais são influenciados por qualquer tipo de media. O principal problema pode estar ligado ao excesso de informação que por vezes pode-se tornar cansativo colocando em causa por vezes a credibilidade da fonte. Opiniões e orientações sobre os nossos hábitos no dia-a-dia, não faltam, e cada vez mais damos conta de uma rápida evolução, e neste caso falando concretamente da roupa, que a mentalidade precisa de acompanhar...
Estética, consumismo, técnicas de marketing... tanta coisa havia para falar que é impossível debater sobre este tema numa caixinha tão pequena para os comentários! :)

Tendo lido alguns comentários no anterior post, tenho um bocado receio de dizer a minha opinião ser querer ferir susceptibilidades mas cá vai:
A mim, já nada me espanta no mundo da "moda"... (prefiro não me alongar mais, referindo também questões centradas no conceito da moda).
Fico-me por aqui.
Os meus cumprimentos.

André Carita said...

Anexo:

Afinal ainda acrescento mais uma coisinha.
Não podia de deixar de referir o poder e a importância que a comunicação tem no que vestimos. Alguns principios básicos de semiótica são importantes na forma de avaliar e interpretar determinadas roupas, cores, etc... Vestir todo de preto é bem diferente do que vestir todo de cor-de-rosa. E sem querer baixar o nível da conversa, uma lingerie vermelha é completamente diferente do que uma lingerie preta... semioticamente falando!
Os meus cumprimentos a todos, referindo que a discordância é o expoente máximo deste meio de comunicação. É com a discordância que aprendemos :)
Agora sim fico-me por aqui, os meus cumprimentos!

André Carita
http://lie.blogs.sapo.pt

Anastácio Neto said...

Caro André obrigado pelo teu interessante contributo...
o excesso de informação é, de facto, um dos problemas mais actuais da comunicação, tal como a forma nem sempre clara, em termos de contéudos, como as redes de informação actuam...
um abraço

André Carita said...

De nada meu caro Anastácio. Aproveito para te convidar a leres o meu último post acerca de uma nova realidade proporcionada pela evolução das novas tecnologias!
Um abraço :)

Anastácio Neto said...

André obrigado pelo convite. Artigo inteligente sobre uma "realidade" em contrução e que merece, desde logo, análises e pensamentos atentos. Naturalmente deixei o meu modesto contributo.
um abraço...